Voluntários

Os voluntários de Dom Inácio são pessoas com boa vontade que recebem a missão espiritual de ajudar ao próximo , que vai a Casa Dom Inácio . Eles tem ajudam  no atendimento dentro do hospital espiritual , dando apoio as entidades e ao médium João de Deus . O trabalho voluntario é feito sem nenhuma remuneração , e os voluntários dão apoio e suporte a diversos setores dentro da CASA .

O trabalho voluntário, ao contrário do que pode parecer, é exercido de forma séria e necessita de especialização e autorização das entidades da CASA, já que são realizados  dentro do hospital espiritual, é preciso aqueles que já tenham passado pela casa e sentido o chamado espiritual,mas também de pessoas que possuam vontade de participar dessa missão.

Todos que são voluntários da casa, tem o ato de bondade com o próximo , a solidariedade,em prol do bem-estar social e espiritual do semelhante.

O trabalho como contribuição para um mundo futuro melhor

É certo que não vivemos num mundo ideal, haja vista os quadros de violência, injustiça, ganância, fome e miséria, que ainda fazem parte da nossa realidade. Se, por si sós, tais flagelos são indesejáveis, imagine-os atuando como fontes geradoras do alimento necessário à fortificação de alguns encarnados e desencarnados comprometidos com a quebra da paz e da harmonia social. Este estado de coisas tem raízes, naturalmente, na ausência de fraternidade, solidariedade e amor entre as criaturas.

Sabemos também que esta não será nossa última reencarnação na Terra, pois ainda temos que aqui retornar a fim de dar cumprimento a outros compromissos relacionados com nosso programa evolutivo. Trabalhar hoje no voluntariado do bem com essa lucidez de consciência é plantar, na sociedade e nas almas de tantos aflitos e desencontrados na vida, sementes que com o tempo florescerão e darão os frutos apropriados à efetivação da paz e da concórdia entre os homens. Os efeitos desse labor, com toda certeza, sentiremos em nossas futuras reencarnações.

O trabalho como fonte de realização pessoal

O conceito de realização pessoal, geralmente, está associado a ganhos financeiros, prestígio profissional, influência social, alcance do mais alto cargo no âmbito do trabalho, e às mais variadas conquistas particulares, para citar alguns aspectos que fundamentam tal conceito.

Seus resultados, entretanto, visam, quase que unicamente, o bem-estar e o prazer do seu agente, ficando o semelhante numa posição secundária. Esse modelo, contudo, por ser individualista, não tem concorrido para a felicidade sustentável da criatura humana, uma vez que muitos dos seus adeptos não lograram êxito no seu propósito, pois a felicidade é uma conquista coletiva. Nesse contexto, a Doutrina Espírita nos dá um novo paradigma de realização pessoal, uma nova forma de sentir prazer e satisfação íntima. Esse novo modelo fundamenta-se em bem servir ao próximo, fazê-lo feliz, sem nenhuma recompensa exterior, pois estamos aqui para trabalhar na edificação do amor no coração das criaturas, único caminho capaz de nos fazer sentir a felicidade plena e a sensação ímpar de realização(…).